Languages

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Ser-folha

Uma coisa que aprendi com o auxílio precioso do meu mestre poético Manoel de Barros. Olhando uma folha caindo do alto da copa de uma árvore, o seu bailado ao vento, a sua trajetória silenciosa, a gente entende que as "quedas na vida" não devem e não precisam ser barulhentas e tumultuadas. A natureza-feminina-mãe nos ensina diariamente que devemos ser folhas nestas horas que sempre vêm, mas sempre vão, como um ciclo necessário de vida.

2 comentários:

Susana Vieira disse...

Obrigado. Eu e Carolina Dieckman precisamos a aprender a ser folhas

Marly Mattos disse...

Ser-folha é ter sabedoria. Sugiro Susana, que você, em primeira ação do dia,aprenda a concordância nominal da palavra "obrigado", que varia com o gênero, logo, como presumo que é feminina, então é obrigada, querida