Languages

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

S.O.S. Cultura

Para ler ouvindo, Caetano Veloso: “Alguma coisa está fora da ordem, fora da ordem mundial”

* O Cine Brasília está um caco para o Festival que começa em novembro.

* A Oficina do Perdiz continua sendo engolida por construção e sem previsão de mudança para endereço prometido pelas autoridades.

* O Teatro de Sobradinho não é administrado pela Secretaria de Cultura e serve mais a culto de fé do que espetáculos.

* Os cubos de Athos Bulcão foram arrancados para manutenção e deixaram a obra de Niemeyer nua.

* Nos 90 anos do maestro Claudio Santoro, o site da Secretaria de Cultura decidiu retirar do nome músico e prefere se referir ao espaço somente como Teatro Nacional.

* A mesma ação de esvaziamento da memória é feita com o Museu Nacional, batizado de Honestino Guimarães, um dos 140 desaparecidos políticos do regime militar, líder da UNE e UnB. Por lá, não há sequer uma placa com o nome dele.

* As salas Villa-Lobos e Martins Pena estão esgotadas fisicamente.

* O Museu de Arte de Brasília (MAB) teve seu acervo deslocado e perdeu o sentido de existência.

* O Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul) tem galpões e salas de teatro fechadas e com sérios problemas de manutenção.

* A Concha Acústica é um mato só.

* O Cine Itapuã não tem nada em cartaz.

* Reformado outro dia, o Teatro da Praça é destruído a olho nu por falta de manutenção.

* O Fundo de Apoio à Cultura (FAC) reprovou a maioria dos projetos em cinema que tiveram mérito cultural aprovado por exigências burocráticas.

Os artistas se reúnem amanhã, dia 8,, às 16h, em frente ao Cine Brasília, para pedir socorro. Vão empacotar o Cine Brasília com sacos de lixo preto.

Um comentário:

Taila Hal disse...

O Cultura no Df = Conjunto vazio