Languages

sábado, 24 de outubro de 2009

Salvador teatral

Salvador está tomada pelo teatro com o Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC). Ontem, o espetáculo Regurgitofagia, com direção de Alessandra Colassanti e atuação de Michel Melamed, abriu oficialmente a programãção, que segue até 0 dia 31. Com Teatro Castro Alves quase lotado, o performer Michel Melamed mostra o vigor de projeto atualíssimo e de forte conteúdo político.
A remissão aos anos de censura e ditadura se contrapõe a necessidade de verborragia que e pontaada por choques elétricos captados das reações do público. Já tinha assistido à montagem no Cena Contemporânea - Festival Internacional de Brasília de 2004, com Caixa Cultural lotada e ativa. Agora, evidentemente modificada pela temporada incessante e pela criação da trilogia que veio depois (Dinheiro grátis e Homem-Música), a peça parece melhor dimensionada em sua potência de discutir questões urgentes como a expressão e a comunicabilidade pós redemocratização.
É forte quando Michel diz: "Se estivesse nascido em 1968, estaria desaparecido" ou quando repete por vezes "Abaixo a Ditadura" O público baiano reagiu com certo espanto, como se estivesse estranhando a proposta para em seguida aderi-la.

Nenhum comentário: