Languages

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Vertigem no Dulcina



Sábado, às 9h, tem palestra aberta ao público com Guilherme Bonfanti (iluminador) e Eliana Monteiro (assistente de direção) do Teatro da Vertigem, no Teatro Dulcina de Moraes. Eles falam do processo de criação da trilogia bíblica até o Br-3. Pra variar, Brasília não viu nenhum desses espetáculos. Nosso experiência diante da materialidade do Vertigem, resume-se a leitura cênica de texto pós-dramático.

Um comentário:

Patrícia Del Rey disse...

"Errar, tentar de novo, fracassar. Se perder de vista o que move o trabalho. “Os verdadeiros paraísos são os paraísos perdidos.” Aquecimento. Treinamento. Vivência. Improvisações.Estimular, provocar, brigar. Aonde isso tudo vai nos levar? Depoimentos pessoais. Choque de depoimentos. Crises. Mais crises. Desejo parar o trabalho. Desejo que o outro pare o trabalho, desejo que o outro vá embora. Desejo ir embora. O dia seguinte. Ensaiar é um exercício de esquizofrenia. Poucas coisas me dão mais alegrias que as horas barrigudas, prenhes e repetitivas de uma sala de ensaio. Trabalho de grupo. Teatro no coletivo, plural, polifônico, ruidoso. Vertiginoso. Compartilhamentos versus democratites. Ensaiar é ir em direção ao outro indo simultaneamente em direção a si mesmo."

Ler vertigem é muito bom. Imagina ver? Esperamos sempre...rs

beijo