Languages

domingo, 29 de março de 2009

A noite dos palhaços mudos


Foto/Sesc Festclown/Divulgação
Ontem à noite, fui ao Sesc Ceilândia assistir ao espetáculo A noite dos palhaços mudos, do grupo La Mínima (SP), a apresentação integrava simultaneamente o Palco Giratório e Festclown. Cercada por uma teatralidade potente, que faz o espectador ser um co-autor do espetáculo na medida que precisa entrar no jogo proposto pelo grupo, a montagem é uma combinação perfeita entre o trabalho de clown/técnicas circenses e o processo dramatúrgico.

Muitos têm preconceito contra a concepção do clown justamente por está desconectada de uma narrativa teatral. Acredita que o universo do palhaço está restrito ao circulo das rodas de rua e do picadeiro. Nessa peça, toda a benesse da concepção do palhaço sopra a favor do teatro puro e repleto de lirismo. Os atores, por exemplo, criam uma vertiginosa cena de perseguição a partir de movimentação de dedos e brinquedos (carros, aviões). É mágico como essas imagens se amplificam na retina do observador, que se sente empolgado a entrar no jogo.

Sem abrir mão de uma poética, aliás intrinsecamente ligada ao clown mítico, A noite dos palhaços mudos fala da crueldade humana, de querer estipar o diferente, eliminar com a força bruta e violenta qualquer um que esteja à margem do padrão (isso vale inclusive para todas as guerras entre nações).

Se passar por sua cidade, não perca por nada.
PS: A direção, preparação mímica e roteirização de A noite dos palhaços mudos são do diretor, ator e fundador da Cia Etc e Tal, Alvaro Assad. Ele foi indicado ao prêmio Shell em SP juntamente com a trilha musical de Marcelo Pelegrini.

4 comentários:

Santiago disse...

Fiquei com a boca cheia d'agua. Quero ver este trabalho. Viva aos palhaços. Abaixo qualquer preconeito. A arte é amoral.

Laura Simm disse...

Maior sucesso a temporada deles em São Paulo, venceram o Prêmio Shell nas principais categorias e merecidamente ganham estas palavras bacanas que você escreveu

Anônimo disse...

Olá Sergio,
compartilho e te abraço.

Gostaria de estar com vocês em mais este encontro em Brasília da diversidade de cômicos, mas a estrada nos levou para o Maranhão(risos).

O que importa é que "A Noite dos Palhaços Mudos" chegou até Brasília e acredite, terá mais esse ano.

Viva Brasilia, viva os palhaços, viva a mímica, viva o teatro.
Alvaro Assad
www.etcetal.art.br

Sérgio Maggio disse...

OI Àlvaro e grande Etc e Tal, um dos melhores e maiores grupos da arte do circo-teatro-mímica no país.

Corram bem o Brasil e voltem logo pra cá.

Vivas