Languages

segunda-feira, 30 de março de 2009

Bicho concho


Não ria deste bicho que sai das mãos d'Ela
Os olhos desalinhados de uma artesã de vida torta
Destino que nem Ela colocou em prumo
O bicho desconjuntado é poça d´água que reflete
a memória estilhaçada
De mulher apontada por dedos de juízos, felizes por rir deste bicho concho

Um comentário:

Samira Sans disse...

A mulher de vida que inspirou tantas histórias de vida, lindas e emocionantes em Conversas de Cafetinas. Parabéns